domingo, 5 de março de 2017





começo esse texto sentindo saudade sua, sabendo que você está longe, 
que geograficamente estamos distantes um do outro, que não podemos nos tocar, 
e sim, isso nos afeta, nos destrói, nos reconstrói. mas a distância nunca foi um problema,
de perto ou de longe, sempre nos constituímos na solidão compartilhada, no silêncio
agradável, na troca de energias e fluídos. sabendo que cada um de nós tem seus próprios
sonhos e objetivos, e que isso naturalmente nos faz trilhar caminhos diferentes, mas por
sorte temos conosco isso que costumam chamar de amor, que por sua vez se torna um
amenizador das angústias provocadas pela vontade de estar fisicamente juntos. confesso
que nunca fui bom com distâncias, elas me destroçam, nasci com obsessão pelo toque,
sempre quis pegar em tudo que acredito e desejo, sempre gostei do abraço
demorado/apertado, de sentir o calor do corpo alheio na pontas do dedo. acho que é por
isso que neste momento estou comprando uma passagem em destino a sua nova cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário