domingo, 2 de agosto de 2015



trocávamos silenciosos olhares
parecia um novo idioma, só nosso
ou sei lá, telepatia mesmo
a gente se entendia muito
a gramática e a sintaxe 
do correr dos seus olhos
me permitia ler coisas como
quando queria que tirasse sua roupa
e juntos fossemos só um
quando explodindo em iras internas
ainda carregava um sorriso no rosto
ou quando chorava para dentro 
todas as lágrimas de um dia difícil
até quando estava com fome
dava para ler em seu olhar
faltava palavras 
sobravam essas divagações.

Um comentário: