sábado, 4 de outubro de 2014


não importava qual fosse a ferida
na pele, no peito, na alma
nunca conseguia parar de cutucar
sempre arrancava as casquinhas
e atrapalhava a cicatrização natural das coisas
gostava de sentir aquela dor 
que mais se parecia uma cosquinha 
até tentava se controlar
mas já era tarde
estava viciado em arrancar 
as cascas de seus machucados.

Um comentário:

  1. Já li isso em algum lugar pela internet, achei lindo, lindo.

    ResponderExcluir