quinta-feira, 6 de junho de 2013

quando criança
nunca sonhei em ser astronauta, ou cowboy
sempre pensei em ser vendedor de picolés
eu imaginava que poderia comer todos os picolés que 
conseguisse enquanto trabalhasse. outro sonho estranho era 
o de trabalhar em locadoras de filmes em VHS, pois imaginava que 
ficaria o dia inteiro assistindo desenhos e filmes no trabalho
e por último, sonhava em trabalhar em uma LanHouse
achava que poderia ficar o dia inteiro na tal da internet
recém chegada no meu dia-a-dia, ali no início dos anos dois mil e pouco. 
enfim, só tive sonhos idiotas, mas por mal ou por bem 
acabei me descobrindo poeta, e deu na mesma
tenho a renda mensal de um vendedor de picolés
assisto o mesmo tanto ou até mais filmes que alguém que trabalha
nas atuais locadoras de DVDs, e passo o dia conectado na internet. 
acho que realizei meus sonhos de infância.

2 comentários:

  1. “Não lemos e escrevemos poesia porque é bonitinho. Lemos e escrevemos poesia porque somos membros da raça humana e a raça humana está repleta de paixão. E medicina, advocacia, administração e engenharia, são objetivos nobres e necessários para manter-se vivo. Mas a poesia, beleza, romance, amor… é para isso que vivemos!”

    Sociedade dos Poetas Mortos

    ResponderExcluir
  2. Entre bilhões de vidas incompletas, uma plenamente realizada :)

    ResponderExcluir