segunda-feira, 23 de setembro de 2013

teria afirmado todas as vontades internas
num só grito
e com um olhar triste e calmo
um olhar que mais se parecia com um pedido
algo do tipo, "não vá embora assim", "não me deixe aqui só"

mas na verdade, não disse nada
como é de costume
ficou parado
com cara de paisagem
sem pensar em nada, nem na pessoa que acabou de sair pela porta 
pessoa essa que talvez nunca mais veja em sua vida

só se deu a perda bem depois
quando a perda já era um ganho de liberdade
sua mente nunca mais falou nisso de partidas

talvez essa área do cérebro tenha pifado
e desaprendido essas coisas de amar em definitivo
mas pela primeira vez um defeito tinha efeito positivo
e poderia conviver tranquilamente
sem medo dos hormônios, amarrações ou cupido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário