terça-feira, 5 de março de 2013


sempre que mergulho
nas profundezas da alma alheia
não passo de trinta segundos
volto as pressas 
para a superfície

não sou um nadador profissional
não tenho fôlego pra nada
nem para fugir
nem para aprofundar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário