quinta-feira, 10 de janeiro de 2013


ser capaz, como o vento
que derruba casas
e ergue aviões

que carrega em seu percurso
o perfume das flores
e o mal cheiro do chorume

mas não deixa de levar
e ser levado
não deixa de ser vento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário