about





Kaio Bruno Dias usa de linguagem simples, delicada e marcada pela juventude,
para vasculhar as miudezas do cotidiano e da vida prosaica, para falar da ausência,
da perda, da saudade, da solidão, dos desencontros amorosos, da impossibilidade
de contato verdadeiro e de comunicação profunda nos dias atuais, do vazio existencial e
da curta duração da vida; publicou Peg & Pag (2012), Respeite a solidão alheia (2016),
dois poemas de sua autoria foram incluídos na mostra Poesia Agora, realizada no
Museu da Língua Portuguesa, São Paulo (2015). Compositor e intérprete de músicas que
tem seus poemas como letras, Kaio Bruno Dias vem se apresentando em shows e recitais solos,
tendo atraído a atenção pela qualidade melódica de suas composições e pelas parcerias
que articula com outros artistas.